quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Embrulhos


Faz algum tempo, eu havia lido uma história mais ou menos assim:

Era uma vez um jovem, muito doente que poderia morrer a qualquer momento.
Um dia decidiu sair sozinho e caminhou algumas quadras de sua casa olhando as vitrines e as pessoas que passavam.
Ao passar por uma loja de discos, notou uma moça, que parecia ser feita de ternura e beleza.
Foi amor a primeira vista. Entrou na loja olhando para sua amada.
Quando ela o viu deu-lhe um sorriso e perguntou se poderia ajudar em alguma coisa.
Era o mais lindo sorriso que ele já havia visto e a emoção foi tão grande e forte que mal conseguiu dizer que queria comprar um CD. Pegou o primeiro que viu na frente e disse " é esse aqui".
"Quer que embrulhe pra presente?", perguntou ela, sorrindo.
Ele mexeu a cabeça dizendo sim. Pegando o pacote,saiu, porém louco de vontade de ficar por ali.
Daquele dia em diante, todas as tardes voltava à loja de discos e comprava um CD qualquer.
Todas as vezes a garota saia do balcão e voltava com um embrulho cada vez mais bonito, que ele guardava no closet, sem nem mesmo abrir.
Ele estava apaixonado,mas tinha medo da reação da moça.
Muitos dias depois,cheio de coragem, comprou um CD e como sempre ela foi embrulha-lo.
Quando ela já havia saido, o garoto escreveu em um papel o nome dele e o telefone, deixou no balção e saiu correndo.
No dia seguinte o telefone tocou, e a mãe do jovem atendeu. Era a garota da loja perguntando dele.
A mãe desconsolada, chorando perguntou a ela: "Você ainda não sabe? Ele faleceu essa manhã".
Mais tarde ao entrar no quarto do filho e olhar suas roupas ficou surpresa com a quantidade de CD's todos embrulhados.
Curiosa abriu um e um pedaço de papel caiu onde estava escrito: "Você é muito simpático, não quer me convidar pra sair? Eu adoraria"....


Provavelmente falta "a moral da história" nessa versão que encontrei.
Lembro que quando li esse texto há alguns anos, fiquei tocado, imaginando-me na história (sempre temos a tendência de nos transportarmos para o que lemos), e sentindo o sarcasmo do destino no final trágico. Ainda
hoje acho que finais felizes no amor, somente em contos, histórias e poesias. Sábio Vinícius ao dizer "eternamente enquanto dure". Mesmo as eternidades são efêmeras.
Estão me achando pessimista hoje? Ok. Abram todos os pacotes daqui pra frente. Simples assim!

Para quem se perguntou "Por que a foto da 'Kate' da série LOST no início do post?", algumas explicações possíveis. Eu compraria vááários CD's em uma loja onde ela trabalhasse. O post ficou mais bonito. E em terceiro lugar, porque eu quis! Rs.

Enquanto isso em em algum lugar no meio da selva amazônica: hoje não acabou a luz. Choveu um pouco, como todos os dias aqui pela selva. Chove todo dia pelo menos 5 minutos. Vendo o noticiário na TV, vi que Rio de Janeiro, São Paulo e Rio Grande estão afundando pós chuvas. Tenho a impressão que o mundo poderia acabar e Tefé estaria na mesma paz e rotina, isolada e protegida pela selva Amazônica. Que o poder das samaúmas nos mantenha! Rs.

Um comentário:

vn disse...

Menininho querido,
Muito bem falado, vc ainda acha que o amor só está nos contos de fada.
Será preciso abrir mais que embalagens de cd. É necessário deixar o coração aberto pra ver que, em essência, o amor completa todas as coisas que há, banhando de felicidade, paz e luz não só o final que nunca chega, mas o início e o meio.
Não há caminho para o amor, o amor é o caminho. Enquanto espera o seu romance se manifestar na eternidade, segue amando incondicionalmente, de forma cristã.
Vc verá quantas coisas bonitas te acontecerão...
A riqueza poética do Vinícius é de fato impressionante. Porém, efêmeras são as imperfeições nas nossas percepções a respeito da vida e do tempo.

Se aceitar, te dou a dica de ler o livro O Banquete de Platão.
O maior banquete é a compreensão das idéias de Sócrates sobre o amor.
Felicidade e muita luz